Cariocas levam arte para São Paulo

por Milena Fortes em 25 de agosto de 2017

Conheça quatro galerias do Rio de Janeiro que foram destaque na Semana de Arte 2017.

De 14 a 20 de agosto, o Hotel Unique, em São Paulo, sediou a mais nova feira da cidade, que reuniu cerca de 35 galerias brasileiras e estrangeiras. Com conceito inovador, o evento mobilizou também outros segmentos culturais, incluindo também espetáculos exclusivos de artes cênicas, música, dança, cinema e literatura.

A edição privilegiou a arte latino americana: a maioria das galerias eram brasileiras. Do Rio, seis nomes da arte estiveram no evento, como Fortes D’Aloia & Gabriel e Galeria Nara Roesler, que já foram assunto aqui no blog. Abaixo, saiba mais sobre A Gentil Carioca, Luxuris, Pinakotheke e Ronie Mesquita.

A Gentil Carioca

Localizada em pleno Saara, região de grande comércio no centro histórico da cidade, a galeria foi fundada por Marcio Botner, Laura Lima e Ernesto Neto, com o intuito de difundir a diversidade da arte para o Brasil e para o mundo. Desde 2008 A Gentil Carioca vem sido reconhecida internacionalmente por participar de grandes feiras como Art Basel, Frieze e VIP.

Lurixs: Arte Contemporânea

Há 15 anos no mercado, a galeria faz parte da vanguarda da cena artística do Rio de Janeiro e representa os renomados Hélio Oiticica, Geraldo de Barros e Luciano Figueiredo. Neste ano, a Lurixs passou a funcionar em um espaço no Leblon, projetado pelo arquiteto Miguel Pinto Guimarães. No novo endereço, a programação inclui exposições com obras contemporâneas e mostras concebidas a partir do potente acervo da galeria, que tem como principal eixo os movimentos Concreto e Neoconcreto e os seus desdobramentos.

Pinakotheke Cultural

Fundada em 1980 e com sede própria desde 1994, a organização tem uma estrutura que vai além dos moldes de uma galeria de arte tradicional. A Pinakotheke, que também atua no campo editorial, conquistou os mais importantes prêmios para projetos culturais, livros e exposições de arte. Representante de artistas como Marçal Athayde e Miguel Barceló, a instituição já organizou mostras em São Paulo, Buenos Aires e Lisboa.

Ronie Mesquita Galeria

O marchand que está à frente da galeria inaugurou o espaço em 2010, após 20 anos no Escritório de Arte. Um casarão dos anos 1930, em Ipanema, abriu espaço para a concentração de mais de 500 obras de concretistas e neoconcretistas, de artistas como Lygia Pape, Ivan Serpa, Rubem Ludolf e Franz Krajcberg, que faziam parte do acervo pessoal de Ronie. O foco da galeria é o resgate das obras de artistas brasileiros, priorizando as décadas de 1950 a 1970.

Postagens mais recente