A Casa da Marquesa de Santos – Museu da Moda Brasileira - serviu de pano de fundo para a nossa campanha The Queens

Glamour, tradição e sofisticação são palavras-chave da coleção The Queens. Para falar da realeza e, em especial da Rainha Elizabeth I, resgatamos shapes, texturas e inspirações renascentistas que vão tirar o guarda-roupa da temporada do lugar-comum. À frente do tempo, a monarca levava uma vida agitada em sua juventude: amava montaria, jogava tênis e era uma das poucas mulheres a frequentar rinhas de ursos. Trazendo o lifestyle inovador para a contemporaneidade, apostamos em um cenário certeiro para a locação da nossa campanha. A Casa da Marquesa de Santos, construída em 1826 como presente de D. Pedro I à Domitila de Castro Canto e Melo, tem o romantismo e a ousadia que representam a mulher Sacada.

Localizada próximo ao Paço de São Cristóvão, a propriedade com planta assinada pelo francês Jean Pierre Pézérat, arquiteto do imperador, é um raro exemplar arquitetônico do século XIX e uma das primeiras edificações tombadas pelo IPHAN, em 1938. O frontão e os interiores da casa, ricamente decorados com afrescos e estuques assinados pelos irmãos Marc e Zepherin Ferrez são grandes destaques da locação, além das pinturas decorativas de Francisco Pedro do Amaral, aluno de Debret.
Ver Produtos

A Casa da Marquesa é um exemplo da influência e padrões estéticos neoclássicos nas residências do Rio de Janeiro da época. Com aura graciosa, o imóvel teria sido palco do relacionamento de D. Pedro I com Domitila, que começou em 1822 e durou sete anos. A construção esconde detalhes do romance, como caixilhos decorados em forma de coração acima das janelas e portas. A localização era estratégica, de sua rediência, na Quinta da Boa Vista, Dom Pedro podia avistar o solar.

Ponto de partida para apresentar a importância da mulher na História do Brasil e da Moda na Cultura, a Casa da Marquesa foi escolhida para abrigar o Museu da Moda. O projeto de memória e contemplação conta com acervo de cerca de 3.500 peças desde o século XIX, que vão de objetos do cotidiano à alta costura. Atualmente, este conteúdo pode ser visualizado on-line, através da plataforma Google Arts & Culture, pois o espaço ainda não tem previsão de abertura.

“Estamos trabalhando na captação de recursos para realizar as obras de restauração, a construção futura da reserva técnica que vai abrigar o acervo e também parcerias de concessões de imagem e uso do espaço para a manutenção da casa.” – ressaltou Patricia Castro, atual coordenadora de planejamento das Unidades Museológicas da Superintendência de Museus, da Secretaria de Estado de Cultura (RJ), que na época do nosso photoshoot nos deu todo o apoio como diretora da Casa da Marquesa de Santos.

*A Casa da Marquesa de Santos-Museu da Moda Brasileira é um espaço da Secretaria de Estado de Cultura/FUNARJ